Cientistas alertam que em 2018 o número de terremotos devastadores aumentará drasticamente

Cientistas nos Estados Unidos alertaram que 2018 poderá ser um ano devastador devido a grandes terremotos.

 

Eles acreditam que haverá um grande aumento no número dos sismos ao redor do mundo, particularmente em regiões tropicais e densamente povoadas, devido às variações na rotação da velocidade da Terra. Embora tais flutuações nas rotações sejam pequenas – mudando o comprimento do dia em um milésimo de segundo – elas poderão estar envolvidas na liberação de grandes quantidades de energia subterrânea. As informações são do The Guardian.

 

Tal ligação entre a rotação da Terra e a atividade sísmica foi destacada em um artigo feito por Roger Bilham da Universidade do Colorado, e Rebecca Bendick, da Universidade da Montana, que foi apresentado na reunião anual da Geological Society of America.

A correlação entre a rotação da Terra e a atividade do terremoto é forte e sugere que haverá um aumento no número de terremotos intensos no próximo ano“, disse Bilham à Observer. Para o estudo os cientistas analisaram terremotos de magnitude 7 e maiores que vêm ocorrendo desde 1900.

 

Os terremotos principais foram bem registrados há mais de um século e isso nos dá um bom registro para estudar“, explicou Bilham. Eles descobriram cinco períodos em que houve números significativamente maiores de grandes terremotos em comparação com outros tempos. “Nestes períodos, houve entre 25 a 30 terremotos intensos por ano”, disse Bilham. “No resto do tempo, a média era de cerca de 15 grandes terremotos por ano“.

 

Os pesquisadores também procuraram correlações entre esses períodos de intensa atividade sísmica com outros fatores. Eles descobriram que quando a rotação da Terra diminuía ligeiramente, havia um aumento no número de terremotos intensos. “A rotação da Terra muda ligeiramente – por um milésimo de segundo por dia às vezes – e isso pode ser medido com muita precisão por relógios atômicos“, explicou Bilham.

 

Os cientistas observaram ainda períodos de cerca de cinco anos para essa desaceleração da rotação da Terra ao longo do último século e meio. Basicamente, esses períodos foram seguidos pelo aumento no número de terremotos intensos. “É certo“, disse Bilham. “A Terra está nos oferecendo um aviso de cinco anos para futuros terremotos“.

Esta associação é particularmente importante porque a rotação da Terra começou uma das suas desacelerações periódicas há mais de quatro anos. “A inferência é clara“, disse Bilham “Este ano foi fácil. Até agora, só tivemos cerca de seis terremotos graves. Poderíamos ter 20 terremotos por ano a partir de 2018“.

 

Entretanto, os pesquisadores ainda não sabem explicar essa ligação entre a redução do comprimento do dia e os terremotos. Eles suspeitam que pequenas mudanças no comportamento do núcleo da Terra possam estar causando os efeitos.

 

Além do mais, os cientistas afirmaram que é difícil prever onde esses terremotos ocorrerão. Bilham acredita que a maioria deles poderá ocorrer em países próximos a linha do equador, nas regiões mais tropicais do planeta, onde cerca de um bilhão de pessoas atualmente vivem.

[ The Guardian ] [ Foto: Reprodução / Jornal Ciência ]

O post Cientistas alertam que em 2018 o número de terremotos devastadores aumentará drasticamente apareceu primeiro em Jornal Ciência.

Jornal Ciência

SHARE