Envelopamento da geladeira pode mudar visual da cozinha

Foto: Reprodução

Marcelo Hermsdorf

Há muito a cozinha deixou de ser um ambiente isolado para se integrar à sala e ao resto da casa. Para quem optou por uma solução aberta – ou está de mudança para uma – e não quer abrir mão de sua geladeira, o envelopamento pode ser uma boa opção. Com pouco dinheiro é possível mudar por completo o visual do eletrodoméstico e até disfarçar imperfeições.

Dependendo do modelo, tamanho e do material escolhido, o custo do trabalho pode variar entre R$ 300 e R$ 1 mil. Além da cor, os adesivos permitem mudar a textura ou ainda imprimir imagens ao objeto. Segundo a designer Gina Elimelek, a moda de ‘colorir’ ou ‘ilustrar’ a geladeira deve-se à maior permanência dos moradores em casa.

“As pessoas estão prestando mais atenção no que levam para dentro de casa, no que têm à sua volta. Mas é preciso ter cuidado para acertar na cor e tema mais adequados”, comenta ela. “A personalização escolhida tem que estar em harmonia com o restante da cozinha e da casa”, alerta.

Para Maison Liander, dono da Second Skin, quem opta pelo envelopamento, em geral está à procura de um algo diferenciado. “A pessoa tem uma geladeira nova, normalmente maior, e está buscando um padrão melhor, um inox, por exemplo”, completa. Neste caso, ele afirma que o material utilizado no processo é o mesmo dos aplicados nos carros. “Dependendo do material, o trabalho vai custar de R$ 700 a R$ 1 mil. Mas, é provável que o envelopamento dure mais tempo que a própria geladeira.”

De acordo com ele, que utiliza vinil autoadesivo, quando bem aplicado, o material pode durar até 15 anos dentro de casa e até sete anos em áreas externas. Existe, porém, quem procure no envelopamento uma forma de disfarçar a ferrugem de um aparelho, ou mesmo conservar o eletrodoméstico.

“Na maioria dos casos, a peça está em excelente funcionamento interno, porém com a parte externa comprometida”, destaca Bruno Ikier, que é aplicador há 15 anos. Para realizar um serviço do tipo, o valor, segundo ele, não costuma ultrapassar os R$ 400.

Segundo Ikier, apesar de não ser recomendado, por envolver a utilização de materiais que podem ser perigosos, como o soprador térmico, qualquer pessoa, com alguma habilidade manual e paciência, consegue aplicar o produto. “O acabamento mais solicitado ainda é o aço escovado”, conta Ikier. “Mas tem crescido também o interesse pela impressão de marcas e, entre os mais jovens, de personagens de jogos de videogame.”

Notibras

SHARE