Excesso de chuvas nos últimos 10 dias prejudica a colheita de soja no Maranhão

chuva lavoura mediumA longa estiagem que atinge, principalmente, o sertão nordestino, também prejudicou as lavouras de soja do Maranhão durante a fase de desenvolvimento das plantas. Agora, durante a colheita, o excesso de chuvas nessa área tem prejudicado os trabalhos no campo. Nas principais cidades maranhenses produtoras de grãos, as chuvas da segunda quinzena de março representam mais de 80% do acumulado do mês.

Os dois municípios mais atingidos até agora foram Balsas-MA, onde dos 124mm acumulados em março, 100mm foram registrados nos últimos 10 dias, e Alto Parnaíba-MA, que até agora choveu 145mm e 130mm aconteceram depois do dia 15. Além do Maranhão, as fazendas do Tocantins, próximas ao Estado nordestino, também sofrem com as chuvas de março. Em Campos Lindos-TO choveu 100mm nas duas últimas semanas, dos 150mm observados desde o começo do mês.

Os produtores reclamam da grande quantidade de dias chuvosos, pois algumas áreas começam a apresentar soja ardida. Mesmo assim, a Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), mantém no relatório de março boas perspectivas para a safra maranhense. Segundo o órgão, o Estado aumentou a área plantada de soja em 3,6% e a produção deve ser 13% maior que da safra 2011/2012.

As precipitações dos últimos dias foram causadas pela atuação da Zona de Convergência Intertropical, que é uma banda de nuvens, que migra entre o Hemisfério Norte e Sul e traz chuvas para o norte do Nordeste. De acordo com os meteorologistas da Somar, a partir de amanhã a chuva começa a perder força na região, mas o tempo só volta a ficar seco na primeira semana de abril. Porém, o tempo firme não será prolongado, já que na segunda semana do mês que vem as chuvas voltam a ser mais intensas no Maranhão.

Fonte: MaxPress

 

Maranhão – :: Revista Amazônia ::

SHARE