Lula acaba com Temer dizendo que ele vai cavar a sepultura do Brasil

O atual presidente da República Michel Temer já virou alvo dos ataques do ex-presidente Lula em todo os seus discursos.

Durante sua caravana em um discurso no Nordeste nesta quarta-feira (30) o petista Luiz Inácio Lula da Silva fez questão de culpar o peemedebista Michel Temer por todos os efeitos da recessão engendrada na administração da ex-presidente Dilma que também é do partido (PT).

“Daqui a pouco não vai ter dinheiro nem para cortar a grama na frente das universidades”

Sem argumentos Lula decidiu falar que dessa vez Temer destruí a “construção civil” pois neste setor se concentra a maior parte de demissões da população menos qualificadas na recessão

Que entrou em crise antes mesmo do impeachment do ex-presidente Dilma, que já completa 1 ano.

Em 2015 no primeiro ano do segundo mandato a construção civil diminuiu 514 mil pessoas.

Lula acaba com Temer dizendo que ele vai cavar a sepultura do Brasil

E em seu discurso na cidade do Crato (CE) que começou com cinco horas de atraso Lula fez questão de atacar

Também os planos do governo Temer de privatizar a Eletrobras e a Casa da Moeda.

Qual a mulher que casaria com um homem que entrasse na casa dela e já tivesse sido vendida a geladeira, o fogão, a cama e o computador?

 Se eles não sabem governar, não destruam o Brasil, que é do povo brasileiro”, disse Lula.

Lula atacou também todos os cortes que o governo vem fazendo, sendo os principais nas universidades federais do nosso país.

Ontem Lula recebeu seu terceiro título de honoris causa na caravana, desta vez da Universidade Regional do Cariri.

Lula acaba com Temer dizendo que ele vai cavar a sepultura do Brasil

Daqui a pouco não vai ter dinheiro nem para cortar a grama na frente das universidades”, disse.

O governo Temer está justificando a ideia de privatizar algumas estatais e os cortes em várias áreas da administração

Federal como uma medida de reequilibrar as contas públicas, que projetam deficit de R$ 159 bilhões neste ano.

O impeachment que Dilma sofreu há um ano atrás se deu a partir da acusação de a ex-presidente ter praticado as chamadas “pedaladas fiscais”, que ajudaram a ampliar o atual rombo nas contas públicas.

Pensa Brasil – Em busca da notícia

SHARE