Coreia do Norte acusa Trump de implorar por guerra nuclear

Em meio à visita de Donald Trump à Ásia, a Coreia do Norte fez neste sábado (11/11) novas acusações contra o governo dos Estados Unidos, tachando a viagem do presidente americano de “belicista”. Segundo Pyongyang, Trump está pedindo por uma guerra nuclear na península coreana.

“A viagem atual para nossa região se trata de uma visita belicista de confrontação com a República Democrática Popular da Coreia, na tentativa de remover nossa dissuasão nuclear de autodefesa”, afirmou, em comunicado, um porta-voz do Ministério do Exterior norte-coreano.

É a primeira vez que a Coreia do Norte se pronuncia oficialmente sobre a turnê de Trump pela Ásia, que teve início na semana passada e inclui cinco países.

O texto, divulgado pela agência estatal KCNA, diz que a visita do líder americano à região não passa de uma “viagem de negócios” a fim de enriquecer a indústria armamentícia dos EUA. “Trump revelou sua verdadeira natureza como destruidor da paz e da estabilidade mundial durante a viagem, e implorou por uma guerra nuclear na península coreana.”

O porta-voz ainda acusa Trump de tentar demonizar a Coreia do Norte, mantê-la distante da comunidade internacional e prejudicar seu governo, liderado por Kim Jong-un.

Segundo o comunicado, em resposta às ameaças e declarações americanas, Pyongyang deve acelerar seus planos de aumentar seu potencial de combate nuclear.

“Comentários imprudentes de um velho lunático como Trump nunca nos assustará ou interromperá nosso avanço. Pelo contrário, tudo isso nos dá mais certeza de que a nossa escolha de promover uma construção econômica e ao mesmo tempo desenvolver nossa potência nuclear é mais do que justa. Isso nos impulsiona a acelerar os esforços para completar nossa força nuclear”, diz o texto.

O presidente americano deu início a uma turnê de quase duas semanas pela Ásia na semana passada, tendo visitado Japão, Coreia do Sul e China. Ele se encontra em Danang, no Vietnã, para a conferência de cúpula da Cooperação Econômica Ásia-Pacífico (Apec), e depois segue para as Filipinas, última etapa da viagem.

As visitas ocorrem em meio à crescente preocupação regional com o desenvolvimento do programa nuclear e de mísseis da Coreia do Norte, colocando a questão no topo da agenda.

Em passagem por Seul na terça-feira passada, Trump declarou que Pyongyang representa uma “ameaça global que requer ação global” e convocou todas as nações responsáveis, incluindo China e Rússia, a “exigir que o regime norte-coreano encerre seu programa de armas e mísseis nucleares”.

O presidente ainda alertou que os EUA estão prontos para utilizar toda sua capacidade militar para impedir que a Coreia do Norte se torne uma potência nuclear. “Esperamos, por Deus, que nunca tenhamos que fazê-lo”, disse ele, em sua primeira visita presidencial à Coreia do Sul.

EK/afp/ap/dpa/rtr/ots

—————-

A Deutsche Welle é a emissora internacional da Alemanha e produz jornalismo independente em 30 idiomas. Siga-nos no Facebook | Twitter | YouTube | WhatsApp | App

Deutsche Welle: DW-WORLD.DE – Alemanha

SHARE